Seu site de atividades educativas para o ensino infantil

O que é Racismo?

0 1

Você sabe o que é Racismo? Começamos uma nova série com uma responsabilidade fora do comum, que é a apresentar e conceituar dúvidas constantes no dia a dia escolar e cotidiano do aluno e professor.

O que é Racismo?

racismo-9102254-8764451

Podemos defini-lo como uma atribuição de características biológicas e qualidades morais, intelectuais ou comportamentais que implicam sempre em hierarquizações, onde há a suposição de raças humanas superiores e inferiores. A cor é um dos elementos utilizados para inferiorizar e excluir populações. Discursos racistas tem servido historicamente para a legitimação de relações de dominação, dessa maneira naturalizando desigualdades e justificando violências inimagináveis.

ribs-1001064-5028220

O Brasil é um dos países mais racistas, e tudo isso não é por acaso: por mais de três séculos foi palco de uma forma de violência contra o ser humano a que atualmente enxergamos dessa maneira, mas que em meados do séculos XVIII era bastante naturalizada e até incentivada: a escravização. Falamos escravização e não escravidão, pois atualmente temos a consciência de que o uso do segundo termo é uma maneira de naturalizar uma instituição e condição anti-natural: a de privação da própria humanidade e da liberdade.

O que é Racismo e sua Relação com o meio escolar

gestao-escolar-participativa-os-alunos-como-parte-das-decisoes-4946795-7811101

O tema do racismo é necessário de ser abordado por duas razões: 1 – como método de conscientização contra o racismo e, 2 – de prevenção, para que não haja qualquer tipo de discriminação racial em sala de aula. É necessário que os alunos compreendam as relações raciais, em especial no Brasil, e qual a imagem da desigualdade social que temos no nosso país. Por que a maioria da população nas favelas é negra? Por que é tão difícil vermos negros frequentando espaços elitizados?, são questionamentos necessários de serem feitos em sala de aula e, mais que isso, é importante que os alunos compreendam essas relações e saibam responder essas questões.

O que é Racismo: Ponto Positivos x Pontos Negativos

feedback-negativo-e-positivo-1-6556493-8632350

Pontos Positivos sobre falar sobre Racismo:

  • Reconhecer que o racismo é uma instituição que gera a marginalização de indivíduos e violência

  • Saber o que é o racismo e como ele está presente nas relações sociais

  • Compreender a relação entre racismo e desigualdade social

Proposta de aula para trabalhar sobre Racismo em sala de aula:

Tema:

Racismo

Objetivos sobre trabalhar Racismo em sala de aula:

Objetivos Gerais sobre a aula de Racismo: Saber o que é o racismo e como ele está presente nas relações sociais

Objetivos Específicos sobre a aula de Racismo: Estimular o aluno a questionar estereótipos e preconceitos raciais difundidos socialmente, além de fazer com que ele compreenda a relação entre o racismo e a desigualdade social.

Conteúdo sobre a aula de Racismo:

Vídeo 1: https://youtube.com/watch?v=ufbZkexu7E0

Vídeo 2: https://youtube.com/watch?v=4X3ptl4jBqk

Texto 1: https://infoescola.com/sociologia/racismo/

Texto 2:

Metodologia sobre a aula de Racismo:

O material audiovisual 1 e 2 nessa matéria são uma introdução acerca do que é o Racismo e porque o consideramos uma violência contra o ser humano em todas as esferas. É interessante expor aos alunos ambos os materiais para que estes se familiarizem com o assunto através de imagens e exemplos do cotidiano. Em seguida, fazê-los questionar discursos, estereótipos e formas de pensar a questão da raça, aproximando-os do assunto e desconstruindo algumas ideias que possivelmente se encaixam em um modelo racista de pensar.

Referências

Filmes sobre Racismo

Histórias Cruzadas, 2011.

3b61a566f7f43de4135f88bdbdb6c46e-5416507-9378547

Nos anos 60, no Mississippi, Skeeter é uma garota da sociedade que retorna determinada a se tornar escritora. Ela começa a entrevistar as mulheres negras da cidade, que deixaram suas vidas para trabalhar na criação dos filhos da elite branca, da qual a própria Skeeter faz parte. Aibileen Clark, a emprega da melhor amiga de Skeeter, é a primeira a conceder uma entrevista. Apesar das críticas, Skeeter e Aibileen continuam trabalhando juntas e, aos poucos, conseguem novas adesões.

12 anos de escravidão, 2013.

032627-jpg-c_215_290_x-f_jpg-q_x-xxyxx-8791677-4547905

Em 1841, Solomon Northup é um negro livre, que vive em paz ao lado da esposa e filhos. Um dia, após aceitar um trabalho que o leva a outra cidade, ele é sequestrado e acorrentado. Vendido como se fosse um escravo, Solomon precisa superar humilhações físicas e emocionais para sobreviver. Ao longo de doze anos, ele passa por dois senhores, Ford e Edwin Epps, que, cada um à sua maneira, exploram seus serviços.

Livros sobre Racismo

Quarto de Despejo: diário de uma favelada

Autora: Carolina Maria de Jesus

okkkk-5442332-1936923

A autora é, até hoje, considerada uma das mais importantes escritoras negras do Brasil. Passou boa parte da vida morando na favela do Canindé, em São Paulo, e sustentando os filhos como catadora de papel, enquanto escrevia diários. Esses diários, depois de publicados, renderam dinheiro e reconhecimento a Carolina de Jesus. É um dos livros brasileiros mais conhecidos no exterior, mas ainda não tão celebrado por aqui.

Na minha pele

Autor: Lázaro Ramos

ok-3707576-3968940
SÃO PAULO 08/06/2017 – CADERNO 2 – LÁZARO RAMOS – ator lançará livro intitulado Na Minha Pele pela Cia das Letras – Foto: NILTON FUKUDA/ESTADÃO

Cansado de ser sempre o “negro bem sucedido” e a exceção que, a seu ver, confirma a regra de que os negros são excluídos no Brasil, o ator Lázaro Ramos aceitou escrever um livro sobre as próprias vivências. Não se trata de uma autobiografia convencional: o ator convida os leitores a refletirem sobre gênero, ações afirmativas e discriminação, compartilhando as dúvidas e descobertas que permearam sua trajetória.

Questionário

1 – (UENP) Do ponto de vista sociológico, o Brasil se constituiu sobre o mito da democracia racial principalmente depois da publicação de Casa grande e senzala de Gilberto Freyre (2003). De acordo com Florestan Fernandes (1965) o ideal de miscigenação fora difundido como mecanismo de absorção do mestiço não para a ascensão social do negro, mas para a hegemonia da classe dominante. O mito da democracia racial assentou-se sobre dois fundamentos: 1) o mito do bom senhor; 2) o mito do escravo submisso. Analise as afirmações:

I. A crença no bom senhor exalta a vulgaridade das elites modernas, como diria Contardo Calligaris, e juntamente com uma espécie de pseudocordialidade seriam responsáveis pela manutenção e o aprofundamento das diferenças sociais.

II. O mito do escravo submisso fez com que a sociedade de um modo geral não encarasse de frente a violência da escravidão, fez com que os ouvidos se ensurdecessem aos clamores do movimento negro, por direitos e por justiça.

III. As proposições legislativas sobre a inclusão de negros vão desde o Projeto de Lei que reserva aos negros um percentual fixo de cargos da administração pública, aos que instituem cotas para negros nas universidades públicas e nos meios de comunicação.

Assinale a alternativa correta:

a) todas as afirmações são verdadeiras.

b) apenas a afirmação II é verdadeira.

c) as afirmações I e III são verdadeiras.

d) as afirmações I e II são falsas.

e) todas as afirmações são falsas.

2 – “Quando se menciona o trabalho escravo no Brasil, a primeira lembrança é a da escravidão negra. Realmente, foi ela a mais marcante, a mais longa e terrível; mas o trabalho escravo se inicia no Brasil com a escravidão indígena” (Tomazi, Nelson Dácio (coordenador). Iniciação à Sociologia. São Paulo: Atual, 2000, p.62). Considerando a realidade estabelecida pela implantação do trabalho escravo dos negros africanos trazidos ao Brasil, assinale a alternativa incorreta.

a) As condições de vida dos escravos africanos eram terríveis, razão pela qual a média de vida útil deles não ultrapassava os quinze anos.

b) Os negros africanos reagiram à escravidão das mais diversas formas: através das fugas, dos quilombos, da luta armada, da preservação dos cultos religiosos, da dança, da música.

c) O negro é parte integrante da história brasileira, apesar dos muitos preconceitos que ainda persistem contra eles.

d) O Brasil figura entre os primeiros países latino-americanos a declarar por meio de muitas leis, até a promulgação da lei áurea, a libertação de seus escravos.

e) O fim do tráfico de escravos, no Brasil, ocorreu em meados do século XIX, quando começaram algumas experiências com a mão de obra assalariada de estrangeiros.

Respostas

1 – a, 2 – d.

Fontes

InfoEscola, link: https://infoescola.com/sociologia/racismo/

Exercícios Mundo Educação, link: https://exercicios.brasilescola.uol.com.br/exercicios-historia/exercicios-sobre-democracia-racial.htm#questao-3

Leave A Reply

Your email address will not be published.